Gentil e Juraci Balbinottti
em foto recente, exibem com orgulho,
o retrato do filho Giles, 
que nasceu em 1979...





...e aqui está Giles,
engenheiro da montadora de automóveis Renault,
em viagem pelos Estado Unidos nesse fim de semana:




Museu da Nasa em Huntsville.


A Pato Branco das décadas 1960, 70 e 80 perdeu um de seus importantes filhos, Ariosto Moraes.

Filho dos farmacêuticos Olmiro e Angelina Moraes, Ariosto foi um dos grandes protagonistas da geração 70 pato-branquense.

Deixa grande saudades na família em em nosso grupo de amigos.
O filósofo e pensador humanista italiano Domenico de Masi (Ócio criativo), deu uma brilhante entrevista ao jornal Diário Catarinense (Florianópolis):

Sobre comunicação entre e para as pessoas:

"A presença das redes sociais é uma garantia de democracia, enquanto a televisão não é uma garantia de democracia. 
A televisão pode ser um instrumento de autoritarismo. Portanto, se existe uma boa rede de rede social, existe uma maior probalidade de haver democracia".

"As redes sociais podem também transmitir sentimento de ódio, mas de qualquer forma são uma possibilidade de voz, de presença sociopolítica da parte de cada cidadão. Enquanto que as grandes organizações televisivas, geralmente, são monopólios da elite"



A esquina das ruas Itabira (da foto) com Tapajós receberá grande edifício, das famílias Dagios.



Foto de 09/04/2018.



Esta esquina recebeu por alguns anos - desde 1948 - o Cine Avenida, depois um posto de combustíveis da família Eduardo"Dudu"  Pasternack


Envolver a população nas decisões governamentais.

Os governantes do Brasil tratam do meio ambiente, como cuidam das pessoas: com descaso.


Por que os veículos elétricos ainda não estão nas ruas do Brasil?

Históricos amigos em time do Grêmio Pato-branquense.

Em pé: Almir "Mirtoca" Pizzatto, Ronaldo "Sallin" Cardoso e Irio Fontana (atuando como goleiro).

Embaixo: Lona, Kiko Cantu e Celso "Chuá" Bet. 

O mascote é Anderson, filho do Kiko.

*Foto, acervo Kiko Cantu.




Faleceu na manhã deste sábado (21/04) em Guaratuba, o jornalista Marcelo Flessak, devido a complicações de uma pneumonia.

Marcelo, geração 70, é de família pato-branquense altamente histórica, desde a década de 1950.
Era pai de duas filhas.



*Foto: Diário do Sudoeste.
Clube Pinheiros nos grandes dias. Time do Miranda Imóveis:

Em pé: Nelson Miranda (jogador e cartola), César Trento, Airton Moraes da Silva e Andrey Herget.

Embaixo: André Miranda (mascote), Adair "Daio" Bedin, Derli Fischer e o menino Heber Suttili.
Em torno de 1990.

2º encontro da bola em Pato Branco dia 25 de agosto, dia do soldado.

"Silvio, qué dizê então que nóis somo os soldado da bola?"

*Foto: acervo Heber Suttili.
Por, Sílvio Giordani:

Estes meninos estavam concentrados no Luz Hotel em Pato Branco, aguardando o primeiro encontro "só nois bom" no ano passado. 

Da esquerda pra direita: Índio, Nego Camozzatto, Ibanes, Serginho, Braghini, Paraguai, João Colombo e esposa
Todos já confirmaram presença no segundo encontro, em 25 de agosto próximo.
A comunidade colheu hoje, 25 anos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná em Pato Branco.
 A professora/escritora Neri recolheu:

A árvore
Símbolo da Universidade

Seja a árvore da Vida
Frutificando no jardim do Éden
Seja a árvore do Desejo
Plantada em qualquer lugar
Seja o nosso Pau-Brasil

A Árvore nome/símbolo de brasilidade.
Seja a Araucária do Paraná
Nativa no sul do Brasil.
Seja a árvore do meu quintal
Da minha infância.

Sejam os pés de Ipê da Praça de Pato Branco.
São todas elas, árvores, trazem a Vida
Onde há árvore, não há falta de chuva,
Não proliferam desertos, nem os do espaço
Nem o deserto intelectual.

As Eritrinas, as Araucárias, as Paineiras, os Ipês
Hoje plantados, sejam sinais de Vida  
E, símbolo da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.
A Academia que produz há 100 anos o Conhecimento.

                                                                           Neri França Fornari Bocchese