De 1975 a 1985 realizou-se na cidade de Águas Claras, interior de São Paulo, um grande festival em fazenda ao ar livre com a nata do rock brasileiro.
Na edição de 1981 seguiram para lá, de Pato Branco, os amigos: Ino Petricoski, Ivo "Cabelo" Ferraz, Almor "Tição" Galleazzi, Leomar e Reovaldo Zandoná, Jorge Caramori, Irani "Ira" Petricoski e Rudi Rotava.
           Mais dois amigos que foram "no dedão", ou seja, na carona.
                                 Numa grande sacada, sem imaginar a repercução, O Tição Galleazzi encomendou com a artista plástica Jane de Paula (filha do fotógrafo João e Rita de Paula), a pintura em uma barraca que ele e amigos construíram, reproduzindo, numa face, a capa de um disco do Uriah Heep e na outra, do grupo inglês Yes.

Aqui, 3 dos que foram,Tição, Ivo e Jorge, na direita da foto com dois amigos que arrumaram lá...
                     ... e a barraca com as faces dos disco. Essa foi a sensação do festival. Tinha neguinho que vinha ali pra tirar fotografia, dizer que tinha aqueles discos, fazer juras de amor com a namorada, "acender um", e prestar depoimentos tipo, - pô meu! Arrumei uma mina por causa dessa barraca...
                        Pra arrematar o sucesso, numa tarde, "uns lóki" tocaram fogo numa capoeira, que se alastrou perigosamente. Era só magrinho gritando. - Salvem a barraca do Uriah Heep. - Salvem a barraca do Yes...


Nenhum comentário:

Postar um comentário