Artista na obra e na vida...?

                            Na foto ED: Sérgio Dias Baptista, Rita Lee, Arnaldo Dias Pabtista (Os Mutantes) e Gilberto Gil, Festival de Record, Rio 1967 ou 68.

                             Gilberto Gil é uma dos maiores músicos do planeta. Com a mídia norte americano seria um ícone mundial.

                            Tem sua rica obra poético-musical voltada para o povo, para a simplicidade e cultura de seu país.

                             Cravou frases como:
                             "De um lado esse carnaval, de outro a fome total";
                             "Pobre não tem amor, pobre é um sofredor e quem ajuda é o Senhor do Bomfim"
                              "Gente estúpida, gente hipócrita"...



                              Há muito que se discute a separação entre obra e caráter dos artistas.

                              Não que haja maiores questionamentos sobre Gil, mesmo sobre boatos de que teria gasto milhões para reformar o Ministério da Cultura, quando foi ministro do Governo Lula.

                              Enfim, um depoimento contra ele partiu do Arnaldo Dias Baptista (ao seu lado acima na época dos festivais".

                               Arnado deu uma entrevista de página inteira  - para Mônica Bérgamo - na Folha de São Paulo, num domingo há dois meses.

                             Contou Arnaldo que no período em que Gilberto Gil era Ministro da Cultura, foi até ele em Brasília e pediu-lhe apoio para o lançamento de um CD.

                             Segundo Arnaldo, Gil lhe respondeu: - "Olha, eu sou Ministro, não sou o Ministério".

                             Arnaldo finalizou para a Folha: - "Lindo isso né!"
                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário