Onde a coragem do poeta ?
Nesses tempos conturbados ..
Onde o real e o imaginário
São tão somente casuais no aquário
Tal qual fetiche antiquado
Baluarte afamado .. Penduricalho

Onde o poeta ?
Nesse cotidiano tão pseudo-fantástico
Não cabe mais
Nesse societário
Ser estranho ao avesso ..
Antigo inventário
Aglutinado novo

Como o poeta ?
No abismo se completa
Ave rara co-movente
Em neológica aventura
No passeio da estrutura
Diz solvente
                        (Jener F. Bueno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário