Da enxada ao Parque Tecnológico

Com  as mãos ásperas e suor no rosto de ontem, se fez  o capital humano e a tecno ciência  pato-branquenses de hoje.

Domesticando o grão, transformando matéria primária em produtos básicos migramos do artesanal para o tecnológico sem perder as humanidades...

Do  uso das mãos para as ferramentas artesanais, do técnico para a informática e desta para a robótica.

Assim evolui nossa Pato Branco numa trajetória de trabalho, honestidade, aprendizado e política.

Uma história de apenas 8 décadas na qual,  convivemos ainda com alguns de seus primeiros atores, seus filhos e netos que lhes dão sequência...                                       

 Imagem: escultura em homenagem ao nosso colono. 

                  Em frente a Prefeitura de Pato Branco /  foto: Rudi Bodanese 1º de maio/2015.




Nenhum comentário:

Postar um comentário