Rosana Ceni, (em Florianópolis) nos enviou valioso arquivo que resgata o Irmão Arnaldo, de tantas ligações afetivas e culturais vividas no Colégio La Salle em Pato Branco, anos 70...

"No último domingo, 20/04/2014, o Ir. Arnaldo Mário Hillebrand celebrou seus 90 anos junto aos colegas da Província La Salle Brasil-Chile e do Arcebispo-emérito da Arquidiocese de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings. 
A data foi uma dupla comemoração, já que marca o lançamento de livro de sua autoria. Em “Subindo Degraus da Produção Textual”, publicado pela Rede La Salle, é possível notar a dedicação à Língua Portuguesa e o domínio de técnicas de escrita, que fez do trabalho de Ir. Arnaldo uma referência ao longo de sua carreira como educador. A obra reúne conteúdos das aulas ministradas por mais de 20 anos.  

Nascido na Páscoa de 1924, na antes chamada Linha Imperial Nova Petrópolis/RS, foi o terceiro dos nove filhos de Paulo Hillebrand e Leonda Elvira Ullmann, de origem tcheca. Nos anos 1930, quando estava na Escola Paroquial, iniciou a vida de Irmão Lassalista aos 11, quando ingressou no Juvenato, em Canoas/RS.

Ir. Arnaldo integrou a primeira turma de Formandos da Escola Normal La Salle, na mesma cidade. No ingresso à universidade, o gosto pela Biologia determinou a primeira opção. Porém, por causa das vagas não totalmente preenchidas, optou por não atrasar a formação. Escolheu Letras Anglo-Germânicas na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e, depois, Composition, Diction and Pratical English na Universidade de Georgetown, em Washington, D.C. Por mais de quatro décadas, lecionou em colégios da Rede La Salle. 


Além do La Salle Dores, exerceu outros cargos, como o de professor e de diretor no La Salle São João, também em Porto Alegre, após 1966. Também atuou no Colégio La Salle Pato Branco/PR, o qual deixou boas recordações das turmas em que lecionou por nove anos. Há alunos que menciona como referência, mas, como bom professor, Ir. Arnaldo mantém a crítica. “Hoje em dia, quase todo mundo que usa o computador não sabe escrever. Quem escreve deve deixar muitas vezes o leitor pensando”, considerou"


Um comentário:

Milton Aurélio Dourado disse...

um exemplo de professor com ética e moral ilibada foi o grande mestre que tivemos para o aprendizado da língua portuguesa , deixou saudades por onde passou

Postar um comentário