Quando fotografava esta casa de 60 anos,
dos Batista dos Santos em Pato Branco,
local cercado de prédios
mas envolto em quietude,
luz suave e mistério...

...apareceu há dois metros, essa pomba, o que deu uma magia ainda maior para aquele momento;

Sobre a foto da casa (sem ver a da pomba), o ex-pato-branquense Dimas C. Ferreira, escreve no Facebook, sobre a mesma: "...pedaços de lembranças... Penas dos pássaros doces da adolescência...passava ali a caminho da vida, olhando nuvens sonhadoras. Eita Pato Branco que insiste em permanecer nos meus devaneios de saudade..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário