Repercutiu com manifestações contrárias, a aprovação em primeira votação e discussão pela Câmara Municipal de Vereadores de Pato Branco, do projeto que  denomina de “Gonzaguinha” o Museu da Imagem e do Som de Pato Branco – MGIS, vinculado à Secretaria Municipal de Educação e Cultura, com o objetivo de constituir acervo de fotografias, filmes, vídeos, CD’s e outros materiais, que registrem, em imagem e som, a história do município).

*Pessoas na imprensa, divergem da aprovação do nome Gonzaguinha; um dos argumentos, que ele é mineiro, morreu em Renascença e pouco tem a ver com Pato Branco.

** a posição (democrática) deste blog Patonauta, bem como muitos amigos ligados com a cultura de Pato Branco é de que temos que pensar de forma ampla.

    Gonzaguinha dá uma dimensão nacional para nosso museu de imagem e som (a ser criado).

    A biógrafa de Gonzaguinha Marilda Campos (SP) disse que a última foto do músico (feita em Pato Branco 28/04/1991) fachará a biografia em livro que ela lançará por ocasião dos 25 anos da morte do mesmo.

     Contatos com duas filhas do Gonzaguinha (Grupo As Chicas) pretendem trazê-las para Pato Branco assim que isso for viabilizado financeiramente.

                                           Opiniões aqui: grupo@rudibodanese.com.br

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário