O trovador e cantador gaúcho Gildo de Freitas (1919/1982) nasceu Leovegildo José de Freitas.

Popular até hoje, décadas depois de sua morte.

Gildo teve uma rica passagem por Pato Branco nos anos 70.

Lula Trichês era um líder comunitário local, político, fazendeiro...

Lula levou naquela época, Gildo morar em Pato Branco por uns tempos. O repentista instalou-se com sua prenda, no Hotel Paraná, da dona Paulina Andreata.




O artista possuía uma Veraneio da Chevrolet (semelhante ao lado), e logo passou ganhar mantimentos, porcos, galinhas e outros bichos, do pessoal da colônia ao redor de nossa cidade.

Foi aí que surgiu uma ideia na Foto Esporte, então compartilhada por José Zanella e Rui Bodanese. Propuseram para Gildo que posasse para fotografia, pilchado de bombacha, com seu acordeão e com cuia de chimarrão.

Os fotógrafos faziam 100 postais preto & branco que logo eram vendidas. Gildo tinha comissão na promoção que foi um sucesso...

Tudo isso acompanhado por dois novos fotógrafos na época, Leopoldo de Faci e Rudi Bodanese.

Nenhum comentário:

Postar um comentário