"O samba-canção deixou um patrimônio insuperável para a música brasileira. Hoje o que temos é o axé, o sertanejo, o padre cantor, o funk, a pancadaria - não há mais diferença entre a música e um tiroteio.

E, com as excessões de praxe, os melhores cantores, compositores e músicos brasileiros de hoje não podem mais contar com a televisão, o rádio, as gravadoras e as casas noturnas - a não ser que paguem para aparecer, para gravar e para trabalhar.

Estamos definitivamente condenados ao nosso grande passado musical".

                               Ruy Castro, jornalista, romancista e biógrafo com quase 50 anos dedicados às letras.

*entrevista para LER & CIA (Livrarias Curitiba).

**A Noite do Meu Bem, novo livro de Ruy é um sucesso de crítica e de público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário