Ronaldo Bôscoli (Rio de janeiro 1928 - 1994).

        Um ilustre pouco desconhecido letrista da Bossa nova, Bôscoli foi jornalista, produtor musical e letrista.
                        Viveu o Rio de janeiro como poucos.

                        Namorou Nara Leão e dezenas de outras moças, arrebatou a cantora Maysa, casou-se com Elis Regina (foto) com quem teve o filho João Marcelo.

No seu livro biográfico Eles e Eu, Bôscoli dá milhares de informações e detalhes sobre a música brasileira, sobre a noite, o mundo televisivo e até o futebol. Desde a década de 50.

                        


Como essa história do craque Didi o "folha seca" da Seleção Brasileira de 1958:

Do livro de Bôscoli: "Didi me contou muitas coisas interessantes dos bastidores da Copa do Mundo.

Ele tinha uma tese sobre dopings.
Dizia que havia dois tipos de doping:

com o consentimento e sem o consentimento do jogador. Ele próprio cansou de tomar uma "laranjada" preparada pelo médico da época, o dr. Newton Paes Barreto.
- Ronaldo, aquela laranjada era braba. Mas como não fazia mal, ia tomando. 

Até que um dia, ele não estava bem. Tinha saído na noite anterior, tomado uns uisquinhos com água-de-coco e dormido mal. Antes do jogo, tomou a "laranjada".


- Joguei como um louco, matei a pau, mas comecei sentir muita taquicardia.
Quando voltava para casa do jogo, sentiu-se mal e bateu o carro.
- Senti a barra pesar, Ronaldo. Foi aí que parei de tomar as "laranjadas".


Nenhum comentário:

Postar um comentário