Ao passar por escola pública em plena segunda feira 11:30h, observo 3 ou 4 adolescentes de 13 ou 14 anos.

Vestidas com roupas curtas e sensuais, apesar de algum frio, suas brincadeiras são ansiosas e estridentes.

Ora, a natureza lhes dá os hormônios, os homens o estímulo às paixões, ao consumo, numa aventura de celular, namoro precoce, beijos de novela e um mundo em que a globalização lhes dá no atacado: ânsia pelo consumo, perda de sua identidade cultural, dificuldade econômica, conflitos raciais/religiosos, migrações da fome e da guerra.

Essas (esses) jovens, são as frutas que vão ser colhidas verdes, queimando etapas em suas vidas sem o devido amparo e orientação adequada, nem do poder público nem da sociedade.

Pesquisa do www.folha.com.br (27/06/2016) mostra que 2 em cada 3 menores infratores em São Paulo, não vivem com os pais.

John Lennon profetizou: "A felicidade é uma arma quente"

 Esses jovens tem pressa e é preciso que sejam encaminhados para um presente e futuro com consciência, capacitação, boa cultura, conexões com sua pátria, história e oportunidades. 

"É honra dos homens proteger o que cresce, não deixar que haja infância
 incendiada pelas paixões"


                                  *Comentários no Facebook: Patonauta Pato Branco

Nenhum comentário:

Postar um comentário