"De herói a bandido e vice-versa", questionador, provocativo, recluso, personalista, Geraldo Vandré (exilado do Brasil de 1969 a 1973) além de fazer canções geniais, criado hinos de resistência contra a ditadura, tinha um um gênio forte, polêmico, egoísta...

Defensor da mais pura cultura popular do Brasil, ativista contra a massificação, afirmou ainda nos anos 60 (no livro ao lado), sobre a influência do mercado musical e as massas: "A boiada come o que se tem no pasto".



O que diria Vandré do mercado musical hoje ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário