Lá por 1989, Gilson Marcondes e Rudi Bodanese, ávidos por levar cultura para as pessoas e melhorar Pato Branco e o mundo, promoveram (com o risco de sempre) um show do Grupo Tarancón de São Paulo, (música latino-americana).

Isso em janeiro de 1989, 20:00h de um domingo no Clube Pinheiros.

Por uma felicidade do destino, à tarde já estavam vendidos ingressos suficientes pra pagar o show e dar tranquilidade aos dois promotores.

Rudi morava no Edifício Andressa, na esquina das ruas Itapuã com Ararigbóia, 14º andar e uma bela paisagem.

O flautista Emílio do Tarancón, que era também irmão do Turcão (principal líder do grupo) estava com Rudi e mais um ou dois amigos numa comemoração prévia naquele apartamento, e aquecimento para o show que se desenhava um sucesso para a noite.

Os ingressos vendidos antecipados tinham um pequeno desconto o que levou um dos promotores - Gilson com um conhecido e amigo médico - até o 1404 do Andressa, em busca do benefício do desconto.

Chovia torrencialmente na tarde daquele domingo e ao abrir a porta do Ap, os dois deram com os presentes (Emílio, etc...) ouvindo música, envoltos numa forte, cheirosa e envolvente fumaça, fruto da queima da marvada, surpreendendo o médico - e a todos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário