Para o piloto de aviação comercial e especialista em segurança de voo, Carlos Camacho (entrevista ao jornal Diário Catarinense de Florianópolis), o acidente com o avião da Chapecoense foi motivado por dois fatores: 

o avião estava sem combustível e a demora para descida do mesmo (aeronave da Airbus passou na frente na fila de pouso em Medelin).

"Como não havia margem para imprevistos, o combustível secou".

O mesmo Camacho, em entrevista à Rádio CBN/Diário (Florianópolis) afirmou com "quase certeza" que foi um erro de planejamento de autonomia de voo. 

"O piloto deveria ter parado para abastecimento, e não fez por ganânica".

Camacho também cobra atuação de autoridades de países como a Bolívia, que  podem se omitir da observância de programação de abastecimento.

"Se um avião programou para abastecer em determinado local e não o fez, coloca-se dois caças ao lado do mesmo no ar, e o obriga a descer"

Nenhum comentário:

Postar um comentário