4º soneto para o Chopim

Não vejo a hora
De sábado chegar
Melhores amigos, emoções
Rio Chopim bora acampar

Me refrescar de dia
Fogueira ao entardecer
Morrer de noite
Sonhos de uma guria

Domingo pela manhã
Flora, fauna um céu em flor
Café fogo de chão

Abro os olhos
É tarde
Hora de voltar.

                                                                           (Rudi Bodanese) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário