Lembrando o chapéu que usa o Amarildo "Mico" aí embaixo, letra de um samba de Noel, grande sucesso no carnaval de 1934 no Rio de Janeiro:  

O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu
e também vão sumindo, as estrelas lá do céu
Tenho passado tão mal
A minha cama é uma folha de jornal

Meu cortinado é um vasto céu de anil
E o meu despertador é o guarda civil
(Que o dinheiro ainda não viu!)

A minha terra dá banana e aipim
Meu trabalho é achar quem descasque por mim 
(Vivo triste mesmo assim!)

A minha sopa não tem osso e nem tem sal
Se um dia passo bem, dois e três passo mal
(Isso é muito natural!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário