Branco Pato Branco

Amanheceu, nada era como antes!
A água não chegou às torneiras, 
O verde das árvores pintou-se de branco 
E a correr para fora todos, crianças as primeiras.

O fato era desconhecido, por isso mesmo perigoso;

Sem temer o inimigo, tudo parecia um jogo.
O tempo não contava naquele mundo branco
E dos tombos que levamos, todos pra perto do fogo! 

Bolas de neve, mãos congeladas

Nariz vermelho e pernas peladas
Logo a neve mostrou que não era simples geada. 

Hospede única e da vez primeira

Deixou estampada em nossa lembrança
Aquela experiência única dos belos tempos de criança. 


*Alice Fontana 11.05.2017 (Milão, Itália). Foto: Maria Filus, com os filhos Terezinha e Claudio.

Escreva um soneto com o tema BRANCO COMO A NEVE - sobre a nevasca de 21/08/1965 em Pato Branco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário