Novo livro do médico Drauzio Varella aborda a questão da mulher presidiária.

Em entrevista na rádio CBN/SP,  Drauzio informou que 75% das adolescentes que engravidam - em lares que nunca se formaram - deixam de estudar.

Aí, muda o futuro destas e do filho. Não tendo chance no mercado de trabalho, passam dos pequenos delitos para o transporte de droga para dentro das prisões.

Levam (na vagina) drogas em visitas a familiares presos ou para ganhar dinheiro. Presas, pegam até 4 anos de prisão, abandonando filhos aos cuidados de outros.

*O médico salienta que crimes desse tipo deveriam ser punidos com penas administrativas. "Temos a quarta maior população carcerária do planeta"

É visível a falta de políticas públicas conscientizando sobre gravidez precoce. Toda sociedade precisa participar.

 Ao engravidar, a vida de uma mulher, muda para sempre. O pai é igualmente responsável e sua presença, insubstituível.

 O futuro, a saúde física, mental e afetiva da criança/cidadão que comporá a sociedade, dependerá disso. 

(Rudi Bodanese)

Nenhum comentário:

Postar um comentário