"Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles  alçam voo
Como de um alçapão.

Eles não tem pouso nem porto
Alimentam-se um instante em cada par de mãos
E partem".

Mário Quintana (1906 / 1994).

Hoje:


Televisores são ligados e a mágica se faz.
Embaçam as mentes, turvam a visão,
Atormentam os ouvidos.

Estou moderno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário