Setembro de 1965 – Soneto 1

Oba! A neve caiu a noite inteira
Cobrindo os campos e a cidade
Trazendo no branco a claridade
E o convite à festa, à brincadeira.

No fogão a lenha chia a chaleira
No bule o café em saciedade.
O velho, o adulto e a mocidade
Querem ver a neve verdadeira. 

A criança com a neve se congraça
Corre, brinca com alegria e graça
Naquele setembro, doce mês.

Se hoje a neve branca, sem jaça,
Caísse novamente em nossa praça
Eu voltaria a ser criança outra vez.

Luiz Marini 16-05-2017.

*Luiz, geração 70, escritor pato-branquense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário