Às coisas passando, eu quero
É passar com elas, eu quero
E não deixar nada mais do que as cinzas de um cigarro
E a marca de um abraço no seu corpo.

*letra de Movimento dos Barcos, de Capinan e Jards Macalé (anos 1970).

Foto, fim dos anos 1950; casa do doutor Gaeff, bairro bancários Pato Branco).

Nenhum comentário:

Postar um comentário