Antonio Prata, escritor, cronista e roteirista com coluna na Folha de São Paulo (domingos) vê dois lados na condenação do ex-presidente Lula:

Trechos de Explodem os rojões (Folha edição impressa 28/01/2018 Cotidiano B2).

"Meus filhos se assustam com os rojões no meio da tarde. Já esperava as explosões de gozo com a condenação de Lula em segunda instância. É triste. 

Triste a condenação do Lula. Triste uma construtora envolvida das fundações à cobertura num enorme escândalo de corrupção durante os governos Lula reformando um apartamento de presente para ele, triste o significado deste presente. 

Tristes os pixulecos inflados não pelos defensores da democracia, mas pelo ódio dos que pedem a volta dos militares, o fechamento de museus, o obscurantismo travestido de liberalismo. triste os que seguem com Lula a qualquer preço, os que o querem presidente em 2018, fechando os olhos para todos os crimes e erros do PT.

 Lula não foi condenado porque a elite nunca aceitou a assenção social dos pobres durante seus governos, mas os rojões que explodem aqui, no meio da tarde, saem das janelas dos apartamentos dos que nunca acreditaram. Os que diziam "esse aeroporto tá parecendo uma rodoviária"...

Nenhum comentário:

Postar um comentário