Frei Nelson foi um verdadeiro franciscano, despojado.

Nelson Rabelo.  Vindo já tendo-se tornado padre - de Minas Gerais - em fevereiro de 1971 ele estava em Pato Branco no corpo de jurados do 1º FINC, Festival Intermunicipal da Canção.

Tinha uma erudição, equilíbrio emocional, serenidade e sabedoria que logo fez de todos nós, seus ouvintes.

Em 1971 Frei Nelson seguiu para Porto Alegre onde cursou e concluiu o curso de Jornalismo na PUC-RS. 

Em Londres na Inglaterra, acrescentou a especialização no seu dom de comunicador.


Voltou definitivamente para Pato Branco


Padre, jornalista, culto, comunicador, amigo, conselheiro, solidário, fraterno, generoso...

Foi um fundador do SOS Vida (Associação Vida Nova / Serviço Franciscano de Solidariedade). 

Sediada em área rural do Bairro São Francisco/Peloso o SOS Vida tem hoje cerca de 100 internos. Atua no acolhimento e tratamento de dependentes e co-dependentes quimicos (álcool e outras drogas). 

Frei Nelson é o próprio SOS Vida. 

Em 17 de outubro de 2017 (seu falecimento) quando este aos 77 anos, estava sendo velado na Igreja Matriz de Pato Branco,  cerca de 70 internos ingressaram na igreja para lhe prestar um último tributo, todos perceberam que: aqueles novos seres humanos não haviam mudado a si mesmos, mas estavam melhorando o mundo.






*Tributo pós morte.

Por ter vivido entre nós a maior parte de sua vida;

 ter sido quem foi; o troféu Patonauta "Pato altivo" - Os melhores da cena cultural 2017 em Pato Branco vai para:


Frei Nelson Rabelo
 SOS Vida Nova.




**Foto Frei Nelson, José Luiz Bet. Escultura o pato, Kalu Chueiri

Nenhum comentário:

Postar um comentário