"Quem carregou na adolescência e juventude, um apelido, jamais esquecerá. Apelidaram-me de “Pato Branco” tanto os camaradas de farda do Exército Nacional de Curitiba - onde servi como cabo enfermeiro - bem como os colegas de universidade, UFPR, onde cursei e formei-me em Direito".  
                                             Nilso Romeo Sguarezi em crônica que estará no livro PATO... Confesso que Vivemos (Vários olhares sobre décadas inovadoras de nossa juventude).

                                                                 48 99679 2353 (Rudi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário