O fotógrafo João Maria (Rita) Alves de Paula, chegou em Pato Branco no início de 1965 (53 anos).

Fragmentos de sua história estará no livro PATO... CONFESSO QUE VIVEMOS (será lançado em julho ou agosto).

Quem assina crônica sobre João, é a jornalista, professora universitária e Mestre em Desenvolvimento Regional;  entusiasta pela preservação de memória, Jozieli Wolff (de Pato Branco).

Trecho: 

"Era 21 de agosto de 1965 (quinta feira) e, naquele sábado, doze casamentos estavam marcados na Matriz São Pedro Apóstolo, inaugurada pouco mais de um mês. A cidade estava na Praça Presidente Vargas; crianças, idosos, homens e mulheres fazendo esculturas de neve, jogando punhados de gelo uns nos outros – mal sabiam que estavam esculpindo memórias. Justamente naquele frio danado! A maioria estava vendo a neve pela primeira vez. Foi um dia maravilhoso. Contudo, como lembraríamos dele? Não bastava contar, era preciso mostrar; mas fotografar a neve não era tarefa fácil.  

João, que havia chegado há poucos meses na cidade, recorreu aos livros que colecionava, dos cursos que fez por correspondência; alguns em idiomas que ele se viu obrigado a aprender, ao menos as palavras mais importantes. Nada é difícil ou impossível para quem não teme, tampouco nega, o sonho. Quanto ao livro em francês, voilá: o céu estava nublado, mas a neve reflete luz, então bastava regular a câmera ao contrário"! 



Aqui está nosso mestre/fotógrafo, poeta e especialista em abelhas João de Paula.


Foto de Rodinei Santos, diante da Igreja Matriz São Pedro que se comemora 53 anos (amanhã) 29 de junho.

Um comentário:

Zooler Zooler disse...

Parabéns, parabéns!!! Mesmo que os homens hodiernos n]ão valorizem seu trabalho, morra com a segurança de ter cumprido Seu Papel, deter feito Muita Coisa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Postar um comentário