"ANDORINHAS escrevem no ar, guardo da infância - andorinhas escrevendo no ar. 
Hoje - recolho ainda - andorinhas escrevendo no ar. Andorinhas não publicam - nem declamam o que escrevem no ar. Entendi a escrita minha, ao entender a escrita da andorinha". 


Lindolfo Bell (poeta catarinense - em memória).

*Igreja Matriz de Pato Branco, 2017 (Foto: Rudi).

Nenhum comentário:

Postar um comentário