Renir "Chiko" Piva trocou Pato Branco por Brasília (DF), no fim dos anos 1970.

E é de lá que ele escreve sobre o histórico jornal A Razão (no final dos 60);

"No meio da tarde de sábado fechava-se a edição das páginas internas e abria-se o pano:, era quando o Valdir fazia o horóscopo. O que tinha dito para os cancerianos na semana anterior ia para sagitário; leão para gêmeos, de gêmeos para aquário, e assim tínhamos a previsão zodiacal, com o rodízio alternado de textos já publicados.

Na redação Getúlio escrevia suas crônicas, ocasionalmente com dificuldades em lembrar ou reconhecer o nome do autor que abordava,  geralmente  russo ou árabe. O Victor já  havia escrito as notícias  e acontecimentos políticos da semana. Os litros estavam abaixo do meio, as inspirações afloravam e o dia já estava acabando, entrando a noite. Comíamos alguns pasteis, coxinhas no bar 17... 

Era o fim do turno vespertino, entrava a noite, o que havia sido feito até ali, era o miolo do jornal. E começava o que importava, a primeira e a ultima pagina. Valdir e João Mario eram os mais preparados. Transpirava ansiedade em relação ao que os dois da redação iriam aprontar, o que tinham reservado para o fechamento da edição. Personagens da primeira página: Graeff, Roldo, Viganó, Granzotto, Ampessan, Bento, Juscelino. Desafetos para a última página: Doutor João, Piacentini, Thomazoni, Ney Braga.

*Para o livro PATO... CONFESSO QUE VIVEMOS (em editoração). 
Foto, arquivo: Rudi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário