Pato-branquense histórico, médico, político, gestor, amigo e muito mais; Alceni Guerra, ex Ministro da Saúde escreve para o livro PATO... Confesso que Vivemos:

Trecho:

"Três hospitais disputavam o mercado assistencial — Hospital São José, Hospital São Lucas e Policlínica Pato Branco. O primeiro desapareceu no meio da concorrência xenófoba dos outros dois, alimentada por diferenças técnicas, políticas e sociais na cidade. Era como se fossem duas nações distintas, com valores diferentes, enfrentamento político divergente, e práticas médicas desiguais, que levavam a duras críticas mútuas diárias, que os próprios pacientes tinham que ouvir já em suas primeiras consultas. 

O Hospital São Lucas, de um único proprietário, optou pela valorização de seu estabilizado corpo clínico, de quatro renomados profissionais médicos, que possuíam imensa clientela. A Policlínica, empresa de capital aberto, fez outra opção, começou a procurar profissionais com pós-graduação diferenciada, vindos de renomadas escolas de medicina de todo o mundo. Meu primeiro impacto foi encontrar no hospital um mestre recém formado pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos, que sabia Imunologia como eu jamais havia visto, e um patologista sul americano, formado no Brasil, que me assombrou por sua competência diagnóstica. 

Neste ambiente, comecei minha carreira de pediatra, ganhando muito por mês, que era a remuneração usual de qualquer médico na cidade.
A concorrência entre os dois hospitais fez rapidamente deles uma referência de qualidade em todo o Oeste do Brasil, norte da Argentina e leste do Paraguai. Cada cliente retornava para sua região como uma testemunha da excelência dos serviços de saúde em Pato Branco. 

E, claro, com uma advertência sobre as deficiências do concorrente, cada um ressaltando os futuros investimentos programados, criando sempre uma nova esperança de uma assistência perfeita.
E comecei participar de reuniões sonhadoras para fazer de Pato Branco um grande centro médico brasileiro. Parecia coisa de loucos, de desconhecedores da realidade, de enganadores da opinião pública. 

Quarenta e três anos depois, essas são as verdades da medicina de Pato Branco em 2018:

1. A cidade foi classificada em 2017 como a 11ª em qualidade de saúde entre as 5.570 existentes no Brasil.
2. Possui três hospitais e inúmeros centros clínicos de alta complexidade.
3. Inaugurou uma promissora faculdade de medicina em 2017.
4. Foi contemplada com dois ministros de estado da saúde, ambos oriundos do mesmo hospital na cidade.
5. Junto com Curitiba e Londrina, é uma das três únicas cidades do Paraná a realizar transplantes de coração, um ícone de alta complexidade.
6. É recordista brasileira em transplantes de rim em cidades médias, superando a maioria das grandes cidades.
7. Destino preferencial de pacientes do SUS de todo o país para intervenções de alta complexidade em saúde".

Nenhum comentário:

Postar um comentário