Danieli Longo Benedetti, filha de Remo e Hilda Longo (a menina na foto) escreve para o livro PATO... Confesso que Vivemos:

"Foi em Pato Branco que meu pai comprou seu primeiro carro 0Km. Um Opala Chevrolet, 4 portas, cor vinho. Um espetáculo! No dia em que foi retirar o carro da concessionária me levou com ele. Num minuto de descuido o vendedor o chamou para falar alguma coisa e naquele momento me deixou sozinha dentro do carro, com a chave na ignição e a marcha engatada na primeira. 

Em segundos eu estava de pé no banco do motorista e, com o desejo de imitar meu pai, acionei a chave e o carro foi com tudo contra a belíssima vitrine da loja. A fachada da concessionária se desmanchou em pequenos cacos de vidros temperados que caíram sobre o para-brisa como uma chuva de granizo e o nosso Opala 0Km que deveria sair dali para a garagem da nossa casa foi direto para a garagem da oficina. Descrevo esse fato pois uma coisa me vem na mente em HD: o olhar aflito do meu pai preocupado para saber se eu estava bem e se nada havia acontecido comigo. Nunca soube o valor do prejuízo que causei e meu pai depois do ocorrido, nunca comentaria o fato comigo".





Danieli Longo Benedetti (ao lado) reside em São Paulo e é uma pianista de carreira internacional. Escreveu crônica para o livro PATO... Confesso que Vivemos, com uma memória precisa, a gentileza dos grandes seres e a sensibilidade que a vida lhe deu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário