Numa honrosa participação no livro PATO...CONFESSO QUE VIVEMOS, o pioneiro pato-branquense Alberto Pozza escreve:

Trecho:

"Até 1950 havia em Pato Branco somente os partidos UDN e PSD. Com o lançamento das candidaturas de Getúlio Dorneles Vargas pelo PTB, Cristiano Machado pelo PSD e o brigadeiro Eduardo Gomes pela UDN e os candidatos ao governo do estado Angelo Lopes pelo PSD e Bento Munhoz da Rocha Neto pelo PR, apoiado por PTB, PSP, UDN e PRP, todos esses partidos organizaram seus diretórios na Vila. 
         
  Na noite em que foi lançada a candidatura de Getúlio Vargas à presidência da república pelo PTB em 1950, estava eu com alguns amigos num bar na Rua Guarani, soltando foguetes e dando vivas a Getúlio, quando de repente surgiu um cidadão dono de cartório e uma dama da sociedade acompanhada das empregadas e mais dois policiais.

 O cidadão com dois revólveres 38, um em cada mão, a dama armada também com revólver e as empregadas todas com paus, invadiram o bar e com seu regimento distribuíram farta messe de bofetadas, nos mandando dormir. Um getulista que não quis sair foi preso, deram-lhe purgante e o soltaram. Era costume dar purgante aos adversários políticos, quando por qualquer motivo eram presos. Na madrugada do dia 17 de junho, quando os ânimos".

*Livro estará pronto em 10 dias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário